Em 2012, o curso de Museologia da UFRGS foi convidado pela Associação Art’Escama para  criar um museu na Ilha da Pintada, a fim de registrar o patrimônio cultural dessa comunidade, de forte tradição açoriana e afro-descendente.  Por se tratar de uma área de preservação ambiental, dentro do Parque Estadual do Delta do Jacuí, foi proposta a criação de um ecomuseu.

O ecomuseu tem  o seu foco no  desenvolvimento da comunidade de que faz parte. Assim, ao invés de se dirigir tão somente aos seus acervos, públicos e espaços, volta o seu olhar  para as pessoas, para suas memórias, narrativas e motivações, na perspectiva do desenvolvimento e da mudança social Trata-se de uma tipologia  criada em 1984, pela Declaração de Quebec, do ICOM (Conselho Internacional dos Museus),  que inverte o foco dos museus, dando-lhes uma dimensão mais humana, ao propor que, ao invés de se preocuparem tão somente com suas funções tradicionais, ampliem suas ações para envolverem a comunidade, a partir de suas lutas e  seus sonhos.  Trata-se da Museologia Social, que  busca a valorização dos seres humanos como protagonistas, sujeitos e atores de suas vidas. Assim, o Museu da Ilha da Pintada se propõe a  valorizar  as narrativas das pessoas em relação ao seu passado, no sentido de articular as memórias e o patrimônio cultural à construção de um presente mais inclusivo e solidário.

Desse modo, o Museu da Ilha da Pintada volta seu foco para o reconhecimento do território, para o empoderamento de sua população e para a valorização do patrimônio cultural  legitimado pela comunidade.  Ele foi criado a partir do interesse da própria comunidade em sua existência,  como um lugar em que as pessoas se reconheçam como sujeitos e atores. Assim pensado, ele se propõe a ser um espaço para registro e divulgação de suas  lutas pela sobrevivência, pela resistência histórica e pela crença num futuro melhor.Ele  acontece para que  as pessoas se deem  conta de que são as  testemunhas do  seu passado e protagonistas do território que habitam, além de serem os responsáveis pela criação de uma nova realidade social.